14 de março de 2010

2009 Alter The Ending

Altere o seu fim. Essa é a premissa para esse novo albúm de Chris Carrabba e o Dashboard Confessional.

Posso dizer, orgulhosamente, que estou inquieto com tamanha evolução musical denotada em todas as faixas desse fantástico albúm duplo. Sim, um albúm duplo. Afim de agradar todos os fãs de Dashboard Confessional. De um lado, as faixas originais, do outro as mesmas faixas, em acústico. Mas não simplesmente acústicas. Tão bem trabalhadas, e diferentes por assim se tornarem, quanto as originais. Exemplificando, com uma das faixas, posso dizer que a plenitude foi atingida nesse trabalho cuidadoso do Chris com Belle Of The Boulevard. A faixa original possui uma melodia pegada e gostosa, e isso fica ainda mais belo com um toque de piano em sua outra versão.

A faixa que mais me chamou a atenção, no entanto, foi a sexta faixa, faixa-título, do albúm, Alter The Ending. Ela simplesmente surge de um susto, chega como um tiro. O trabalho com a guitarra nessa música certamente premia Chris Carrabba, que já vinha dizendo que gostaria de dar um toque de Rock n Roll em suas músicas. Essa canção, além de possuir a premissa do albúm, é viciante. A escute seguidamente, não enjoará. Sabe quando você saí do trabalho, ás 5 da tarde, em uma sexta, pronto pra curtir o fim de semana, e o que mais quer fazer é entrar no carro, pisar fundo e ligar o som no máximo? Alter The Ending é faixa perfeita para isso. Eu confesso que já fiz várias vezes, é foda!

Destaco Even Now, a mais bela composição de amor desse albúm. E talvez a mais bela composição de amor já escrita por Chris, não melancólica. Mas não perca sua atenção nela, pois quase que encerrando o albúm temos Water and Bridges, com traços bem mais tristes, muito bem trabalhada, pois consegue captar e passar a ideia da letra da música, esse sofrimento no peito, essa vontade de libertação. A vontade de gritar "Save me from a grey life!". Uma que gostei bastante também, foi Until Morning, que talvez tenha sido minha primeira favorita desse albúm. O refrão da segunda faixa pede pra você gritar com ferocidade, com vontade.

Ainda nessa linha, com trechos marcantes e destruidores, temos Hell On The Throat, que não poderia encerrar esse albúm na minha opinião, ela é uma música legal, mas estraga totalmente a sua impressão exaltante que você teve ouvindo todo o albúm, Water And Bridges deveria encerrar. E No News Is Bad News, que dispara versos inquietantes logo em seu início.

Creio que esse é o albúm que mais demandou trabalho e atenção, pois como alguns fãs devem lembrar, o albúm seria lançado no primeiro semestre de 2008, mas Chris parou e quis refazer tudo. O albúm premia todos os ardorosos fãs, como eu, dessa incrível, e tão pouco conhecida, banda.Embora eu tenha ficado empolgado com o albúm, eu quero mais, confesso. Talvez seja a vontade de ver esse caras ao vivo, coisa que dificilmente ocorrerá aqui no Brasil.

Portanto, a regra é entrar no seu carro no começo do seu fim de semana e colocar a sexta faixa desse albúm no máximo, você não se arrependerá.

Merecem Repeat: Alter The Ending, Water And Bridges, Belle Of The Boulevard
Merecem Forward: Nenhuma

0 comentários: